domingo, 29 de novembro de 2009

HOMENAGEM PÓSTUMA II: ERIC CARR, A "RAPOSA" DO KISS

Substitudo de Peter Criss no KISS, Carr era um eximio baterista, considerado por muitos melhor do que o original, Carr foi responsável pelo sucesso do álbum "Creatures Of The Night" de 1982, ao vivo ele mostrava todo seu potencial nas baquetas, quem esteve no antológico show do KISS em 1983 no Maracanã-Rio de janeiro, pode presenciar de perto toda a furia desse astuto baterista. O "The Fox" da banda.

Nascido Paul Charles Caravello no Brooklyn, Nova Iorque, em 1950, Eric Carr foi influênciado por diversos músicos, tais como Ringo Star (Beatles) e Jonh Bonham (Led Zeppelin) e passou a tocar bateria. Vindo de uma família de músicos (avó trombonista, pai trompetista, mãe cantora e pianista, e irmãs guitarristas), sua decisão foi muito bem aceita, sendo sua primeira banda o Flasher. Passou por inúmeras bandas antes de aceitar o conselho de um amigo e se inscrever para um teste com o Kiss. Em maio de 1980 participou das audições para a escolha do novo baterista da banda. Competindo com mais de 2000 candidatos, Eric impressionou Gene Simmons, Paul Stanley, Ace Frehley, e o proprio Peter Criss, que viria substituir.

Após uma tentativa fracassada de se caracterizar como uma águia, Eric encontrou na raposa, "The Fox" o seu personagem no universo do Kiss. A escolha pela raposa foi feita por Gene, pois, segundo ele, "Eric era astuto como uma raposa". Algumas semanas após o lançamento do disco "Unmasked" (1980, ainda com Peter), foi anunciado o novo baterista do Kiss. Seu primeiro show com a banda foi no New York Palladium em 25 de julho de 1980.

Em 1981 lançam o primeiro disco com Eric, "Music From "The Elder"", um disco no mínimo estranho e um fracasso de vendas, pelo menos para o Kiss. Em 1982 saiu a coletânea "Killers" e, no mesmo ano, "Creatures Of The Night", o último com Ace Frehley, este disco teve uma boa acolhida pelo público. A partir deste, também participou da fase "sem maquiagem" da banda, com os álbuns Lick It Up (1983), Animalize (1984), Asylum (1985), Crazy Nights (1987), Smashes, Thrashes & Hits (coletânia com 2 músicas inéditas, e Eric Carr cantando "Beth", maior sucesso na voz de seu antecessor Peter Criss) (1988) e Hot In The Shade (1989). Considerado um dos mais fabulosos bateristas de seu tempo, Eric só teve a oportunidade de demonstrar seu talento e explorar todos os recursos de sua bateria de 36 peças no disco de 1982, no melhor álbum com sua particpação lançado pelo KISS em toda sua trajétoria na banda "Creatures Of The Night". Nesse disco, a guitarra foi deixada temporariamente em segundo plano, motivado principalmente pelo acidente de carro sofrido por Ace Frehley. Eric dispôs de dois engenheiros de som exclusivos para captar o melhor som de sua bateria. O resultado foi uma das maiores demonstrações de habilidade de um baterista capturadas em um LP.

CURIOSIDADES:
Eric Carr foi considerado por muitos na década de 80 como o baterista mais completo de todos.
Seu último show foi no Madison Square Garden em 9 de novembro de 1990.
Em abril de 1991, durante a gravação do próximo disco, Eric descobriu que sofria de um tipo raro de câncer no coração, tendo sido operado no mesmo mês.
Contudo, o câncer não regrediu, e tomou o coração de Eric, que entrou em coma pouco antes de morrer, em 24 de novembro de 1991.
Eric faleceu no mesmo dia da morte de Freddy Mercury (Queen).
Eric se foi precocimente ainda muito jovem, tinha 41 anos.
Eric Carr canta "Black Diamond" - Anos 80



Fonte: Wikipedia\Argumento: Boterock\Fotos: sites diversos

2 comentários:

Andressa disse...

Ele É perfeito. Se ele está morto? para alguns, pra mim mesmo, não. Ele está vivo em nós, em todos os fãs.

.::Wesley::. disse...

Simplemeste o melhor baterista que passou pelo KISS.
Seu antecessor com estilo simples de tocar, nunca me impressionou, tem sim seu papel na história da banda.
E o seu sucessor Eric Singer, é um bom baterista, porém é muito monotono, parece estar tocando apenas por tocar. Carr incorporava o espirito do KISS e arrebentava. Energia, velocidde e porencia. O KISS nuncam mais foi o mesmo depois da sua morte. RIP THE FOX.